Artigo - Como é a criação e publicação de mangás no Japão?




Fullmetal Alchemist, Death Note, Naruto, Attack on Titan. Estes são alguns exemplos de mangás de maior sucesso de vendas no Japão e até mesmo no Brasil. Mas, você sabe como eles são produzidos e distribuídos?






História


Mangá é o nome designado para as histórias em quadrinhos no estilo japonês. Ao contrário das histórias em quadrinhos convencionais, sua leitura é feita da direita para a esquerda, o que faz com que comecemos o mangá do lado contrário à um livro ocidental por exemplo.



Teve origem por meio do Oricom Shohatsu - Teatro das Sombras -, que na época feudal percorria vários vilarejos contando lendas utilizando fantoches. Tais lendas acabaram por ser escritas em rolos de papel e ilustradas, dando origem às histórias em sequência, e consequentemente originando o mangá. 

Essas histórias passaram a ser publicadas por algumas editoras na década de 20, porém sua fama só veio por volta da década de 40.



A produção de mangá foi interrompida durante a Segunda Guerra Mundial e retomada somente em 1945, tendo o Plano Marshall como seu propulsor, pois parte das verbas desse plano era destinada a livros japoneses. A prática de ler mangá aumentou consideravelmente nesse período, pois com a guerra poucas atrações culturais restaram. Foi nessa época que surgiu o que podemos chamar de “Walt Disney Japonês”, o Osamu Tezuka, criador dos traços mais marcantes do mangá: Olhos grandes e expressivos.


Mangakás



Mangaká é o nome do profissional responsável por criar um mangá, e ele trabalha VÁRIAS horas para alcançar uma meta semanal de cerca de 20 páginas desenhadas para as editoras, retirando um tempo para lazer somente aos sábados por cerca de 3 horas.



É muito comum um mangaká possuir ajudantes para conseguir atingir as metas estipuladas pelas editoras, desempenhando papéis como desenhar cenários ou fazer acabamentos. Contudo, é grande o número de mangakás que trabalham sozinhos escrevendo, desenhando e fazendo os acabamentos por conta própria. Alguns até mesmo se forçam a uma rotina pesada de trabalho, dormindo 2 horas por dia, para poder terminar tudo no prazo.



Aqui está uma agenda traduzida do mangaká Shiibashi Hiroshi, autor de Nurarihyon no Mago".




Entre os materiais utilizado pelos mangakás, podemos destacar:





                   -Folha B4 


A folha B4 tem a peculiaridade de ser difícil de ser encontrada no Brasil, porém a internet sempre facilita casos como este.




O papel B4 é mais que o padrão que conhecemos, como o A4. Pelo fato da folha ser maior, é possível desenhar muito mais coisas que em uma folha sulfite padrão. Além disso, elas possuem marcações para facilitar os desenhos. 

As marcações são em azul, ou seja, se você escanear a página, elas sumirão.






-G Pen


As G Pen também são difíceis de serem encontradas no Brasil, então voltemos a internet... 

Além de terem uma ponta fina, facilitando o traço do mangaká, a tinta utilizada por ela é a Nanquim.




-Lápis e borracha





É muito comum o mangaká ter um estojo ou porta-lápis repleto de lápis de durezas diferentes. Alguns são melhores para sombrear, outros para contornar e outros ainda para fazer o esboço da arte. É indispensável para um mangaká o uso deles, a menos que utilize uma mesa digitalizadora.










Qualquer erro de traço é imediatamente corrigido, porém a variedade de borrachas que são utilizadas chega a assustar um leigo no assunto. Borrachas maleáveis são grandes aliadas para apagar pequenos traços que uma borracha comum não conseguiria após arredondar pelo uso frequente.






Publicação


Após entregar um capítulo para a editora, o mesmo costuma ser publicado em revistas como a Shonen Jump (Shonen), a Hana to Yume (Shoujo) ou ainda a Afternoon (Seinen), junto com trabalhos de vários outros mangakás com suas próprias histórias.



Estas revistas possuem cerca de 500 páginas (Podendo variar de revista para revista), costumam custar entre 250 ienes (R$5,00) e 700 ienes (R$14,00) e o papel utilizado nelas é econômico e reciclado. Além disso, cada revista tem um determinado público alvo.





  • Shonen - Garotos, normalmente crianças e adolescentes
  • Shoujo - Garotas, normalmente crianças e adolescentes
  • Seinen - Homens, de 20 a 30 anos
  • Josei - Mulheres, de 20 a 30 anos
  • Kodomo - Público Infantil


Ressaltando que não é uma regra que crianças assistam a Shonens e Shoujos e adultos a Seinens e Joseis.



As séries mais populares costumam ocupar as primeiras páginas e podem até mesmo possuir algumas páginas coloridas, já as menos populares ficam do meio para o final e correm o risco de serem canceladas caso a popularidade caia muito.

Uma curiosidade um tanto quanto assustadora para nós é que essas revistas são tratadas lá como tratamos os jornais aqui, eles compram, leem somente o que os interessa e jogam no lixo.



Para saber que decisões tomar a respeito das séries, as revistas se utilizam de vários recursos para saber a preferência do público. A Shonen Jump possui um questionário muito interessante anexado às suas revistas,  na qual o leitor marca quais são suas 3 séries favoritas, destaca e deposita em uma revistaria.




































Quando a série rende uma certa popularidade e alcança um determinado número de páginas, é publicado um volume encadernado e com páginas de melhor qualidade chamado Tankōbon. Caso a série se torne bastante popular, pode ser publicada em formato Bunkouban, que é um formato compacto e com mais páginas, ou ainda em Wideban, que possuí melhor papel e formato um pouco reduzido. 

Temos ainda o formato Shinsouban. que se trata de uma nova edição dos Tankoubons, o Aizouban, que é uma edição de colecionador contendo cerca de 320 páginas, e ainda o Kanzenban, que é uma edição de luxo e contém cerca de 280 páginas.

---

Alguns estúdios de mangakás famosos
-Eiichiro Oda - One Piece
















-Ketaro Miura - Berserk




















-Masashi Kishimoto - Naruto
















---


É perceptível que o processo de criação e publicação de mangás não é algo tão
simples, e que os mangakás responsáveis por nos trazer conteúdos de entretenimento semanal trabalham de forma árdua e com pouquíssimo lazer. 

Caso queiram ter uma idéia melhor ilustrada a respeito do tema, assistam ao anime BAKUMAN, o autor conseguiu deixar bem detalhado como é a vida de um mangaká.




André Carvalho

19 anos, Chosen Undead, Pseudo-psicólogo, escravo do capitalismo e Administrador do NoticedbySenpai. Em tempos de paz: escritor, editor, designer e músico. Sempre apaixonado por animes, mangás, livros e música. "Humanos são interessantes" - Izaya Orihara
Posts do Autor

Título: Artigo - Como é a criação e publicação de mangás no Japão?
Postado Por: André Carvalho
« Anterior Proxima » Página inicial